Neymar Jr.

Roni relembra ansiedade de Neymar Jr pelo primeiro gol marcado há 10 anos

Uma semana depois da estreia como jogador profissional, Neymar Jr marcava o primeiro gol da carreira. A data simbólica completa dez anos nesta sexta-feira (15). Além do protagonista, outros personagens participaram desse momento histórico do futebol mundial. Entre eles, o experiente atacante Roni, responsável pelo passe do gol. Roni também aconselhou e "protegeu" o jovem de apenas 17 anos das intimidações dos zagueiros em campo.

Aposentado e morando em Goiânia, o ex-jogador de 41 anos lembra com carinho do dia 15 de março de 2009 e a ansiedade em torno do garoto recém-chegado na equipe principal. O Santos FC enfrentava o Mogi Mirim pelo Campeonato Paulista em uma noite de sábado no estádio do Pacaembu.

"Ganhamos o jogo por 3 a 0. O gol dele [Neymar Jr] saiu de uma bola esticada na esquerda. Eu cruzei de canhota e o Neymar fez o gol de peixinho. Em seguida ele fez o gesto eternizado pelo Pelé, o do soco no ar e correu para me agradecer, até porque ele sabia que era um gol importante na vida dele. Todo atacante quer fazer logo o gol quando sobe para o profissional e tirar esse peso", comenta Roni.

Veja também outros depoimentos especiais sobre os 10 anos de carreira do jogador no site: www.neymarjr10.com

O soco no ar não foi apenas um gesto em homenagem a Pelé, mas também ao avô santista que havia morrido meses antes da estreia de Neymar Jr como jogador profissional.

"O Ney comemorar com soco no ar não era só em homenagem ao Pelé, mas ao meu pai, avô dele. Meu pai amava o Santos FC, o Pelé. E o Neymar guardava tudo que eu falava e comentava. Ele sabe que o avô acompanhava ele nos jogos, mas meu pai não estava mais conosco há seis meses. Ele havia falecido. O gol foi uma homenagem a ele, Pelé e para nós santistas", recorda Neymar da Silva Santos, pai do atleta.

Conselhos

O ano de 2009 foi de renovação no Santos FC. O time comandado pelo técnico Vagner Mancini foi vice-campeão Paulista daquele ano, perdendo a final para o Corinthians de Ronaldo, um dos ídolo de Neymar Jr. Assim como Neymar Jr, a equipe principal era recheada de atletas recém promovidos das categorias de base. Cabia então aos mais experientes os conselhos e a proteção.

"Ele é um moleque que desde que chegou ao Santos FC notava que ele tinha algo diferente. Joguei várias partidas com Neymar e procurava orientá-lo de uma maneira, como em movimentações. Eu lembro de um jogo contra o Corinthians que ele entrou e o pessoal do Corinthians queria intimidá-lo e o protegi. Tínhamos um carinho especial por ele. Eu o via sempre com o pai e a família e sempre dizia para manter a família perto porque nos momentos difíceis seriam os únicos a continuar do lado", recorda Roni.

Responsável pela assistência do primeiro gol de Neymar Jr em um dos 20 gols de cabeça marcados ao longo da carreira, o ex-jogador afirma que continua na torcida pelo craque. "Eu fico muito feliz em ter participado da história do início de carreira dele. O próprio pai dele tem um carinho muito grande por mim e sempre que me encontra me trata muito bem. Sempre vou torcer pelo Neymar e para que ele conquiste todos os objetivos", finaliza.