Neymar Jr.

Primeiro técnico de Neymar Jr lembra o começo da trajetória do camisa 10 do Brasil até a Copa do Mundo

Disputar a Copa do Mundo no Brasil, ser um dos principais jogadores da equipe e poder conquistar o hexa para milhões de brasileiros é algo grandioso e difícil de descrever. Neymar Jr tem o privilégio de estar neste cenário real, com apenas 22 anos. Mas o camisa 10 da Seleção Brasileira sabe que não foi fácil chegar onde está. Muitos desafios e obstáculos estiveram em sua jornada.

Quem pode contar com ricos detalhes a história dos primeiros passos de NJr é Roberto Antônio dos Santos, o “Betinho”. Figura importantíssima no começo da carreira do jogador, Betinho foi quem descobriu Neymar Jr, aos seis anos de idade. Com uma experiência de anos no futebol, o mentor ficou famoso quando descobriu Robinho, que se tornou ídolo do Santos FC.

“O Neymar é fruto de um sonho. É a perfeição de um trabalho. Tudo que ganhei de experiência antes usei com ele”, conta Betinho em sua casa em São Vicente. O ex-técnico de NJr teve uma conversa descontraída com a reportagem e muitas vezes se emocionou ao falar do passado do jogador, que mistura-se ao seu.

“Muitas pessoas viram o Juninho (como carinhosamente Neymar Jr é chamado por Betinho), mas eu enxerguei. Ele é um fora de série. De toda uma geração, não existe nada igual. É o maior imitador do futebol mundial. Ele vê um drible e faz igual, assiste uma jogada de efeito e reproduz melhor. É um sábio”, derrete-se o homem que teve a visão do futuro de NJr há anos.

A história da descoberta é conhecida pela grande maioria dos fãs. Enquanto Neymar pai disputava uma partida de futebol, NJr corria pelas arquibancadas e desfilava uma coordenação motora que chamou a atenção de Betinho. Depois, quando o profissional viu o talento da criança com a bola nos pés, foi apenas necessário trabalhar para que ele evoluísse. Sem saber que anos depois aquele menino de seis anos seria o camisa 10 do Brasil na Copa do Mundo, o destino já estava traçado.

Quando surgiu no profissional do Santos FC, ganhando títulos e encantando a todos, Betinho já tinha feito seu papel com Neymar Jr. Ele foi o responsável por levá-lo para seu primeiro clube, a Associação Atlética dos Portuários de Santos. Fazendo uma enormidade de gols e ganhando todas as taças possíveis na Baixada Santista, Neymar Jr foi acompanhando seu treinador em outros clubes também.

Associação Atlética Portuguesa e G.R. Gremetal fizeram parte da estrada que Neymar Jr trilhou para chegar à Seleção Brasileira e ao Barcelona, clube que defende atualmente. Entre suas lembranças, Betinho conta vários fatos curiosos, inclusive alguns desconhecidos do público. Em seu primeiro contato com o futebol de campo, aos 8 anos, o descobridor do atacante recorda que sua atuação não foi boa. “O Juninho não rendeu na primeira vez no campo. Foi em um treino do Gremetal, no Humaitá. Mas ele continuou treinando e desenvolveu. No ano seguinte já era diferente, não tinha pra ninguém”, explica.

Ele conta que Neymar Jr nunca teve vergonha de sua origem, sempre batalhou muito para estar no nível de hoje e poder ajudar sua família. O contato antigamente era diário com Betinho, que ajudava dando carona para o garoto ir aos treinos. “O Neymar nunca se envergonhou da sua origem. Era muito esforçado. Treinou muito para ser o que é hoje. O apoio de sua família também foi fundamental. Ele conseguiu mostrar seu valor”, justifica.

Outro relato digno de roteiro de cinema é quando Betinho conta que em determinado treino, Neymar Jr ainda criança precisava dominar de esquerda e chutar de direita. Após a atividade, Neymar pai deu um conselho para Betinho, que foi fundamental na carreira do jogador. Tratava-se de treinar o chute de esquerda. Se a bola viesse no pé esquerdo o arremate seria de esquerda. O tempo passou e Neymar Jr treinou muito, segundo conta Betinho.

Na final da Copa das Confederações, um de seus grandes desafios no futebol, em um Maracanã lotado, a oportunidade surgiu e NJr fuzilou o arqueiro espanhol Casillas de pé esquerdo. Assistindo ao jogo, Betinho na hora voltou ao passado. “Naquele momento, me arrepiei. Voltei na hora ao passado. Aquele chute foi treinado muito. O Neymar não era ambidestro e hoje é. Isso é fruto de muito treino e esforço”, conta emocionado.

Em uma parte de sua casa destinada a atender inúmeros veículos de imprensa, que o visitam atrás de histórias de Neymar Jr, Betinho guarda como recordação uma camisa de Neymar Jr da Seleção Brasileira, autografada e com dedicatória ao seu primeiro treinador. “É um orgulho inexplicável ter participado do começo de tudo. Não tenho palavras. Simplesmente o Neymar era diferente e eu observei isso. Mas não é só talento, é treino e capacidade de se adaptar. Ele já jogou em salão, society, na praia, na rua, descalço, isso é importante na formação”.

Para finalizar as mais de duas horas de conversa, Betinho emitiu sua opinião sobre a Copa do Mundo. Na sua visão, NJr está mais que preparado para enfrentar o desafio de representar o Brasil. “Os brasileiros amam o Neymar. Ele conseguiu ser respeitado nos cinco continentes, o que não é para qualquer um. Ele é iluminado. Agradeço a Deus por tê-lo encontrado. O Brasil está preparado para a Copa e o Juninho está muito focado. Ele quer fazer algo diferente”, completa um dos homens que marcou sua história na carreira do camisa 10.

...

#partiucopa – Clique e saiba o que a #LojaOficialNJr preparou para a Copa do Mundo !!

Notícias

<
>