Neymar Jr.

O ano de Neymar Jr. na Seleção Brasileira

Após viagens e mais viagens para diversos países onde foram disputados os amistosos entre seleções. Depois de uma Copa do Mundo em que foi retirado mais cedo por conta de uma grave lesão, Neymar Jr. é presenteado neste natal com um dos maiores presentes em sua carreira até agora. Seu intenso progresso dentro da Seleção Brasileira.

Depois de uma contusão no pé esquerdo, sofrida na partida entre o Barcelona e o Real Madrid, na final da Copa Rei, a estreia do garoto de 22 anos na Copa do Mundo tornou-se uma dúvida. Apesar da grande preocupação gerada pelos fãs e pela mídia, Neymar Jr. demonstrou tranquilidade nos depoimentos em relação ao seu retorno para o fim da temporada e para o que viria a ser a sua primeira copa.

Em uma Arena Corinthians lotada, o atleta entrou vestindo a camisa amarela número dez para marcar dois gols logo no primeiro jogo da copa, contra a Croácia. Ainda que com quatro gols durante todo o mundial e uma boa atuação em todos os jogos em que participou, seu sonho de ser campeão em casa foi adiado devido a uma lesão nas costas sofrida em uma disputa de bola com o zagueiro Zuñiga, pela vaga nas semifinais, contra a Colômbia, que terminou com 2 a 1 para o Brasil. Mesmo assim, o atacante acabou recebendo a Chuteira de Bronze, por ter sido terceiro maior artilheiro no campeonato.

O camisa 10 da seleção ficou afastado dos campos por aproximadamente um mês. Enquanto recuperava suas energias, a Seleção Brasileira acabou perdendo a Copa do Mundo e seu até então técnico, Luís Felipe Scolari, foi substituído pelo ex-técnico Dunga. Essa reformulação no time brasileiro marcaria o começo de uma das melhores fases do jogador brasileiro na seleção até agora.

Reencontrando a Colômbia no mês de setembro para seu primeiro amistoso pós-copa, Neymar Jr. retornou determinado ao novo time de Dunga, tornando-se capitão do time e marcando o único gol da partida, realizada em Miami. Usando a braçadeira pela primeira vez, NJR é o capitão mais jovem da história do time. Líder em jogadas decisivas, o brasileiro virou o artilheiro da nova “Era Dunga”, com sete gols em três dos quatro últimos amistosos da seleção nesse ano.

Em um dos seus momentos mais formidáveis, o artilheiro marcou os quatro gols da vitória, no embate contra o Japão, em Cingapura. É a segunda vez que o craque faz isso, a primeira foi em 2011, contra o Atlético Paranaense, quando ele ainda jogava pelo Santos FC. Nenhum jogador marcava mais de três gols em uma partida da seleção desde quando Romário, em 2000, marcou quatro gols no jogo contra a Venezuela, que terminou por 6 a 0.

Finalizando os 14 jogos do Brasil em 2014 marcando 15 gols e quatro assistências com a camisa amarela no corpo, o mais jovem capitão do time conseguiu somar 42 gols em 60 jogos que participou pela seleção principal e já se tornou o sétimo maior artilheiro da equipe, de acordo com a Globo.com. Além de marcar um gol a cada 84 minutos esse ano, ele também teve 47,44% de participação em todos os 137 gols da seleção, desde que foi convocado.

Também presenteado nas redes sociais pela sua proeminência na copa e o ano produtivo que teve, hoje, sua página oficial no Facebook é a 51ª maior do mundo com 50.5 milhões de "likes" e seu perfil no Twitter é o 44ª maior, com 15,9 milhões seguidores. Foi um ano meritório para o jovem jogador, que com apenas 22 anos, já se tornou uma das peças mais importantes da história da Seleção Brasileira.

Notícias

<
>