Neymar Jr.

Neymar Jr. conta como é o outro lado da moeda nos bastidores das coletivas

Por Helena Passarelli Eram aproximadamente 20 filmadoras, 10 máquinas fotográficas e várias emissoras de televisão, jornais e internet, mas apenas um entrevistado. Em mais uma manhã comum de treinamentos, Neymar Jr. chega nesta quarta-feira (02) no CT Rei Pelé sabendo que ao final do trabalho concederá entrevista coletiva. Acostumado com os flashes e o batalhão de perguntas que o acompanham aonde quer que vá, Neymar Jr. lembra que no começo de sua carreira não foi bem assim. "Hoje não me sinto intimidado, mas antigamente nas primeiras coletivas sim. Hoje estou mais acostumado". Assim que se deparou com a quantidade de cinegrafistas e fotógrafos que o aguardavam na sala de imprensa, o atacante chegou a registrar com o celular a cena dos jornalistas que o aguardavam na beira do gramado. "Quando acordei pensei que estaria muito lotado... E estava", disse. Autor dos três gols do Peixe na vitória contra o São Paulo, que garantiu o time de Vila Belmiro na final do Campeonato Paulista, o atacante respondeu perguntas sobre a grande decisão contra o Guarani, além de também comentar assuntos ligados aos feitos que o incluíram na história do clube, como a marca da artilharia santista que o atacante ultrapassou Juary. "Hoje foram assuntos interessantes, como a final do paulista e os lances que estão fazendo história", finalizou.

Notícias

<
>