Neymar Jr.

Há 9 anos, Neymar Jr. estreava como profissional e dava os primeiros passos de sua carreira

9 anos atrás, neste mesmo dia, diante de 21.918 pessoas no Pacaembu, Neymar Jr. entrava em campo pela primeira vez como profissional do Santos FC, em uma partida contra o Oeste de Itápolis, que para sempre ficará marcada em sua memória. O jovem de 17 anos entrou aos 14 do segundo tempo, vestindo a camisa 18 e com a torcida gritando o seu nome.

O Santos ia empatando a partida contra o Oeste de Itápolis no Paulistão por 0 a 0. A torcida passou a gritar o nome de Neymar Jr. para o técnico Vágner Mancini, que colocou o garoto para jogar. Com muita habilidade, trocas de passes, a tranquilidade de um veterano e até uma bola na trave, o estreante ajudou os seus companheiros a vencer por 2 a 1.

“O futebol é uma mistura de seriedade e molecagem. Tenho de seguir jogando da mesma maneira porque a minha hora de ser titular vai chegar”, disse o jogador, logo a pós a partida, sem conseguir esconder a alegria no rosto. “Antes de entrar, o pessoal que estava no banco fez questão de conversar comigo e passar tranquilidade. Quando a bola rolou, procurei mostrar meu futebol e quase fiz gol. Dei azar! A bola pegou no travessão, mas, da próxima vez, ela vai entrar.”

O autor do segundo gol do Santos, Madson, rasgou elogios sobre a estreia de seu companheiro. “É um jogador habilidoso, rápido, que dá trabalho para o adversário. Se depender da gente, ele vai ter todo o apoio para a carreira dele aqui do Santos.”

No dia anterior ao jogo, o técnico do Santos na época, Vagner Mancini, havia sido questionado em uma coletiva sobre usar Neymar Jr. e deixou claro que o jogador estava se preparando para a sua estreia. “No ultimo jogo contra o São Paulo, ele quase entrou... Eu procuro conversar bastante com o Neymar. Dá para sentir a sua ansiedade. Disse que ele precisa estar preparado e ter confiança. O momento do jogo vai pedir. Se for necessário, ele vai entrar.”

E a “joia santista” entrou em campo, dando ritmo ao jogo e ajudando seus companheiros. Foi usado novamente no duelo seguinte, o que serviu para que ele fizesse sua estreia na Vila Belmiro. E seu primeiro gol como profissional veio em sua terceira atuação, em uma partida contra o Mogi Mirim.

Neymar Jr. ainda fez questão de dar a camisa que usou ao seu pai. “Acho que ele vai fazer um quadro”, comentou. Desde sua primeira atuação, o craque sempre demonstrou manter os pés no chão e agradeceu ao seu pai, por sempre orientá-lo para trilhar o caminho certo.

Cercado por repórteres após o jogo, o garoto que hoje se tornou o camisa 10 da Seleção Brasileira e um dos melhores jogadores do mundo, deu uma declaração que, até hoje, ainda é relevante ao jogador. “Meu pai conversa demais comigo sobre isso. Ele me alerta. Eu tenho de continuar trabalhando com a mesma vontade. Não posso achar que já está bom o que aconteceu. Ainda tem muita coisa pela frente.”

FOTO: DIVULGAÇÃO SANTOS FC

Notícias

<
>