Neymar Jr.

Com 160 faltas sofridas em 2013, saiba como o organismo de Neymar Jr coloca a enzima ‘CK’ para trabalhar

Por Helena Passarelli

Até esta 3ª matéria da série especial sobre o desempenho de Neymar Jr. na temporada de 2013, até hoje, textos sobre o condicionamento físico e a sobre a alimentação que o atacante do Peixe e da Seleção trabalha para ter, foram publicados em seu site oficial. Nas próximas linhas vamos abordar um assunto que deixa os zagueiros e volantes de cabelo em pé: arrancadas e dribles. Se NJr não atinge o objetivo final que é o gol, o atingido é ele.  

 

A quantidade de faltas que o atacante recebeu no 1º tempo foram de 84 e no 2º de 76. Como Ricardo Rosa avaliou o desempenho de NJr durante os jogos, a explicação para as faltas em Neymar Jr. é a mesma. Ele sofre mais faltas na primeira parte do jogo, porque os marcadores estão com mais disposição física para alcançá-lo e no segundo tempo eles não acompanham o ritmo do atacante que consegue se livrar da marcação.

 

Dessas 160 faltas que ele já sofreu em 2013, 45 jogadores receberam cartões amarelos ao interromper as jogadas de Neymar Jr. e 4 levaram cartão vermelho e desfalcaram seus times no decorrer da partida. Atrelando a essa quantidade de 57 dribles, fora as arrancadas que deixam os zagueiros para trás, que ele fez em campo, Luis Fernando de Barros, fisiologista do Santos, diz que o número de faltas está relacionado a capacidade dele de se deslocar de um lado para o outro e de improvisar com a bola.

 

A quantidade de faltas no 1º tempo também tem ligação com o fato dos jogadores adversários ainda não terem sido advertidos por cartões amarelos e vermelhos pelo árbitro da partida. Nesta etapa do jogo os árbitros já mostraram 19 amarelos e 1 vermelho. Já no 2º tempo foram 26 amarelos e 3 vermelhos.

 

Mesmo assim, muitas vezes a alternativa que o zagueiro encontra é de parar NJr com a falta. Em muitos desses esbarrões e faltas perigosas que o atleta sofre, o corpo dele sofre micro lesões. E para explicar como esse processo acontece, Barros explica o famoso exame de CK, feito com o sangue dos atletas, após as partidas.

 

“Depois de uma partida todo atleta tem um aumento dessa enzima que está dentro do musculo. Você tem uma micro lesão que faz essa enzima ser liberada do musculo para poder ser dosada na corrente sanguínea. Todos têm um aumento e o do Neymar é maior do que todos os outros. Isso acontece pela maneira que ele joga, talvez pelas pancadas que ele receba, por essa aceleração e desaceleração”.

 

Portanto, com o exame é comprovado que Neymar Jr. tem mais micro lesões do que os outros jogadores do Santos, mas ele também acaba recuperando mais rápido do que os outros. E isso é atrelado por Barros a uma característica genética.

 

“A própria aceleração e desaceleração no jogo faz com que o musculo tenha essas micro lesões normais durante uma partida. Não é uma lesão grande que vai tirar o atleta, mas é aquela lesão que causa dor muscular no dia seguinte, devido a inflamação dessas micro lesões que ele tem em uma partida”.

 

A maneira de Neymar driblar os jogadores foi adquirida quando ele ainda era um garoto franzino. Por ser leve e veloz, NJr aprendeu a cair quando sofre uma falta para não se machucar gravemente. Pela quantidade de faltas que recebe no jogo, e pela aceleração e desaceleração nas jogadas, os números de Neymar Jr. são os mais altos.

 

Nível de CK no dia seguinte ao jogo

 

Atletas em geral: 681

 

Neymar Jr: média de 1548 (a máquina que realiza o exame não consegue medir o nível do CK de NJr) apresentada entre 2009 e 2013.

 

“Depois que termina o jogo tem essa inflamação que vai aumentando. De 24 a 48 horas ela atinge o pico e depois tem uma regeneração. Isso quer dizer que ele tem uma regeneração normal, mesmo tendo esse aumento maior do que os outros dessa enzima, que mostra uma inflamação maior”, define o fisiologista santista.

 

Nunca neste ano Neymar Jr. não ficou fora de nenhum jogo do Santos e nem da Seleção Brasileira por conta de uma lesão. No dia 24 de março, em partida amistosa do Brasil contra o Chile, e que inclusive o atacante marcou um gol, ele sentiu um desconforto na coxa esquerda, às vésperas das quartas de final do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras. Se o Santos perdesse estaria fora do caminho do tão sonhado tetracampeonato estadual.

 

Mas foi aí que o empenho e a vontade de Neymar Jr. aliado ao trabalho efetivo dos fisioterapeutas do Santos fizeram a diferença. E essa vontade de corre, jogar e pelas faltas recebidas, NJr ficou em tratamento no CEPRAF durante uma semana, em três períodos. O motivo do sucesso desse tratamento você acompanha na próxima entrevista da série sobre o desempenho de Neymar Jr.

Notícias

<
>