Neymar Jr.

“Bola que é sua...Que não é sua” Feliz dia dos Pais

Por Helena Passarelli Os primeiros passos dos filhos acontecem sob os olhares dos pais. O incentivo para levantar depois de cair é rotineiro e segue por vários momentos na vida. Quis o destino que Neymar Jr. desse seus passos e chutes nos campos de futebol. Os incentivos e assovios vinham das arquibancadas e a presença de Neymar pai era um ritual que sobreviveu ao tempo e que acontece até hoje. Mas como o caminho não é fácil e constantemente forma muitas curvas, a história da família Silva Santos se cruza com tantas outras. Mostrar, educar e unir fazem parte do papel do patriarca da família. Neymar pai formou uma relação com “Juninho” que é comentada em mais da metade das entrevistas que o jogador concede. A troca de olhares entre eles é o que basta para que o entendimento aconteça. Antes de saber que seria uma figura importante na carreira do filho, Neymar pai traçou a formação de um cidadão ao saber de sua chegada. Em um primeiro momento as incertezas tomam conta da vida e o medo se faz presente. Contas, mamadeiras, fraldas, roupas, escola e um futuro cheio de possibilidades começam a fazer parte da rotina de um pai. São poucos meses para colocar a cabeça no lugar e preparar o coração para este momento único na vida de um ser humano: o nascimento dos filhos. Junto com estas crianças, o amor acontece no primeiro olhar. Um turbilhão de sentimentos e alegria toma conta da sala de parto pelas maternidades mundo a fora. Menino ou menina, branco ou negro, pobre ou rico; não importa. Tendo saúde, um novo caminho de aprendizado começa a ser traçado entre pai e filho. O acaso ou o planejado agora se tornam realidade. O bem estar, o conforto e a segurança vem em primeiro lugar. Os imprevistos passam sem fazer barulho ao lado de pais determinados em defender seus filhos contra tudo e contra todos. O futuro depende da educação e da formação de caráter. Um pai mostra os diferentes caminhos que os filhos podem encontrar. Seja pelos campos de futebol, pelas pistas de atletismo, nas quadras, nos escritórios, nos hospitais e em qualquer profissão que eles escolherem. Um filho não carrega apenas o sobrenome de seus pais. Os princípios e os exemplos no dia a dia ultrapassam o entendimento da palavra pai. Neymar Jr. carrega em seu corpo o tipo sanguíneo de Neymar pai. Sem precisar de provas para falar do amor entre os dois, um simples gesto traduz o significado da figura do pai para o camisa 11. Nas chuteiras, o nome de seu pai é bordado. Este gesto de amor tão simples, é transformado em gols que tanto trazem alegria para os dois.

Notícias

<
>